quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Bolsonaro vai ser impedido de Concorrer à Presidência? - #Caixa2doBolsonaro, #Bolsolão #B17 - Bolsonaro Corrupção Provas


Será que a Candidatura de Jair Bolsonaro será impugnada por causa desse escanda-lo de Corrupção? Se a justiça realmente existir no Brasil, sim ela será impugnada e essa eleição anulada, adiada talvez para o ano que vem. Vejam os Prints das notícias Completas. Empresários bancam campanha contra o PT pelo WhatsApp. Com contratos de R$ 12 milhões, prática viola a lei por ser doação não declarada (por Folha de S. Paulo), e PDT diz que vai pedir nulidade das eleições de 2018 por suposta compra de pacotes de fake news contra PT (O Globo).


(Reportagens na integra - Folha de S. Paulo):

Empresas estão comprando pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp e preparam uma grande operação na semana anterior ao segundo turno. A prática é ilegal, pois se trata de doação de campanha por empresas, vedada pela legislação eleitoral, e não declarada. A Folha apurou que cada contrato chega a R$ 12 milhões e, entre as empresas compradoras, está a Havan. Os contratos são para disparos de centenas de milhões de mensagens. As empresas apoiando o candidato Jair Bolsonaro (PSL) compram um serviço chamado "disparo em massa", usando a base de usuários do próprio candidato ou bases vendidas por agências de estratégia digital. Isso também é ilegal, pois a legislação eleitoral proíbe compra de base de terceiros, só permitindo o uso das listas de apoiadores do próprio candidato (números cedidos de forma voluntária). Quando usam bases de terceiros, essas agências oferecem segmentação por região geográfica e, às vezes, por renda. Enviam ao cliente relatórios de entrega contendo data, hora e conteúdo disparado. 

Entre as agências prestando esse tipo de serviços estão a Quickmobile, a Yacows, Croc Services e SMS Market. Os preços variam de R$ 0,08 a R$ 0,12 por disparo de mensagem para a base própria do candidato e de R$ 0,30 a R$ 0,40 quando a base é fornecida pela agência. As bases de usuários muitas vezes são fornecidas ilegalmente por empresas de cobrança ou por funcionários de empresas telefônicas. Empresas investigadas pela reportagem afirmaram não poder aceitar pedidos antes do dia 28 de outubro, data da eleição, afirmando ter serviços enormes de disparos de WhatsApp na semana anterior ao segundo turno comprados por empresas privadas. Questionado se fez disparo em massa, Luciano Hang, dono da Havan, disse que não sabe "o que é isso". "Não temos essa necessidade. Fiz uma 'live' aqui agora. Não está impulsionada e já deu 1,3 milhão de pessoas. 

Qual é a necessidade de impulsionar? Digamos que eu tenha 2.000 amigos. Mando para meus amigos e viraliza." Procurado, o sócio da QuickMobile, Peterson Rosa, afirma que a empresa não está atuando na política neste ano e que seu foco é apenas a mídia corporativa. Ele nega ter fechado contrato com empresas para disparo de conteúdo político. Richard Papadimitriou, da Yacows, afirmou que não iria se manifestar. A SMS Market não respondeu aos pedidos de entrevista. Na prestação de contas do candidato Jair Bolsonaro (PSL), consta apenas a empresa AM4 Brasil Inteligência Digital, como tendo recebido R$ 115 mil para mídias digitais. Segundo Marcos Aurélio Carvalho, um dos donos da empresa, a AM4 tem apenas 20 pessoas trabalhando na campanha. "Quem faz a campanha são os milhares de apoiadores voluntários espalhados em todo o Brasil. Os grupos são criados e nutridos organicamente", diz. 

Ele afirma que a AM4 mantém apenas grupos de WhatsApp para denúncias de fake news, listas de transmissão e grupos estaduais chamados comitês de conteúdo. No entanto, a Folha apurou com ex-funcionários e clientes que o serviço da AM4 não se restringe a isso. Uma das ferramentas usadas pela campanha de Bolsonaro é a geração de números estrangeiros automaticamente por sites como o TextNow. Funcionários e voluntários dispõem de dezenas de números assim, que usam para administrar grupos ou participar deles. Com códigos de área de outros países, esses administradores escapam dos filtros de spam e das limitações impostas pelo WhatsApp - o máximo de 256 participantes em cada grupo e o repasse automático de uma mesma mensagem para até 20 pessoas ou grupos. 

Os mesmos administradores também usam algoritmos que segmentam os membros dos grupos entre apoiadores, detratores e neutros, e, desta maneira, conseguem customizar de forma mais eficiente o tipo de conteúdo que enviam. Grande parte do conteúdo não é produzida pela campanha —vem de apoiadores. Os administradores de grupos bolsonaristas também identificam "influenciadores": apoiadores muito ativos, os quais contatam para que criem mais grupos e façam mais ações a favor do candidato. A prática não é ilegal. Não há indício de que a AM4 tenha fechado contratos para disparo em massa; Carvalho nega que sua empresa faça segmentação de usuários ou ajuste de conteúdo. 

As estimativas de pessoas que trabalham no setor sobre o número de grupos de WhatsApp anti-PT são muito vagas —vão de 20 mil a 300 mil— pois é impossível calcular os grupos fechados. Diogo Rais, professor de direito eleitoral da Universidade Mackenzie, diz que a compra de serviços de disparo de WhatsApp por empresas para favorecer um candidato configura doação não declarada de campanha, o que é vedado. Ele não comenta casos específicos, mas lembra que dessa forma pode-se incorrer no crime de abuso de poder econômico e, se julgado que a ação influenciou a eleição, levar à cassação da chapa.

EM MG, ROMEU ZEMA CONTRATOU EMPRESA DE IMPULSIONAMENTO.

O candidato ao governo de Minas do partido Novo, Romeu Zema, declarou ao Tribunal Superior Eleitoral pagamento de R$ 200 mil à Croc Services por impulsionamento de conteúdos. O diretório estadual do partido em Minas gastou R$ 165 mil com a empresa. A Folha teve acesso a propostas e trocas de email da empresa com algumas campanhas oferecendo disparos em massa usando base de dados de terceiros, o que é ilegal. Indagado pela Folha, Pedro Freitas, sócio-diretor da Croc Services, afirmou: "Quem tem de saber da legislação eleitoral é o candidato, não sou eu." Depois, recuou e disse que não sabia se sua empresa prestara serviço para Zema. Posteriormente, enviou mensagem afirmando que conferiu seus registros e que vendera pacotes de disparo em massa de WhatsApp, mas só a bases do próprio candidato, filiados ao partido e apoiadores de Zema —o que é legal. Procurada, a campanha afirmou que "contratou serviço de envio de mensagem somente por WhatsApp para envio aos filiados do partido, pessoas cadastradas pelo website e ações de mobilização de apoiadores". A Folha apurou que eleitores em Minas receberam mensagens em WhatsApp vinculando o voto em Zema ao voto em Jair Bolsonaro dias antes do primeiro turno. Zema, que estava em terceiro nas pesquisas, terminou em primeiro.

(Reportagem do Jornal 'O Globo' sobre o PDT pedir Nulidade da Campanha 2018):

BRASÍLIA - O PDT anunciou que irá pedir a nulidade das eleições presidenciais de 2018 por conta da denúncia publicada no jornal "Folha de S.Paulo" nesta quinta-feira de que empresas estariam comprando pacotes de divulgação em massa de mensagens contra o PT no Whatsapp. O presidente do PDT, Carlos Lupi , está reunido com outros integrantes do partido para definir o formato dessa ação. Ele pondera que as fake news têm se transformado no grande problema desta eleição. — O problema das fake news é muito grave, mas agora a compra do envio em massa de fake news contra o PT foi para um outro patamar. É crime. É abuso do poder econômico. Vamos pedir a nulidade das eleições, isso aí vai dar um oba-oba bom — disse Lupi ao GLOBO.

O PDT é um aliado histórico do PT e declarou um "apoio crítico" à candidatura do petista Fernando Haddad ao Palácio do Planalto. Mas enquanto os petistas esperavam que o PDT participasse ativamente da campanha de Haddad, o partido se recusou, e tem dado trabalho ao PT.

Terceiro colocado no primeiro turno da eleição, Ciro Gomes pegou as malas e viajou para a Europa. E seu irmão o senador eleito Cid Gomes (PDT-CE) transformou um ato que seria de campanha a Haddad no Ceará num desabafo contra o PT, dizendo que o partido tinha que pedir desculpa porque fez "muita besteira" , e dizendo que Haddad vai "perder feio". Após a afirmação, Bolsonaro usou a declaração de Cid Gomes em seu programa eleitoral, o que fez com o que pedetista, senador eleito pelo Ceará, gravasse um novo vídeo em que critica o capitão da reserva pelo uso das imagens e declarou que reafirmou que irá votar no petista no segundo turno.

O vídeo viralizou nas redes sociais e uma das frases de Cid virou slogan de apoiadores de Bolsonaro: "O Lula está preso, babaca". O desabafo do pedetista praticamente inviabilizou qualquer chance de criação de uma frente ampla entre o Ciro e o PT, além de outras forças do campo progressista. #Bolsonaro, #B17, #BolsonaroPresidente 

Prints das Reportagens mais informes:


















Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...


Tags: Jair Bolsonaro, vai ser impedido, de Concorrer, à Presidência, #Caixa2doBolsonaro, #Bolsolão, #B17, Bolsonaro Corrupção Provas, #Bolsonaro, #B17, #BolsonaroPresidente, Empresários bancam campanha, contra o PT, pelo WhatsApp, com contratos, de R$ 12 milhões, prática viola a lei, por ser doação, não declarada, por Folha de S. Paulo, PDT diz que vai pedir nulidade, eleições de 2018, por suposta compra, de pacotes de fake News, contra PT, PT, O Globo,

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

#EleNão - Mulheres Contra Bolsonaro (29/09/2018) - Fotos e Vídeos da Manifestação em SP Capital - Bolsonaro Corrupto Sim! - É Ladrão Sim!

Assuntos Relacionados: [Dossiê Bolsonaro] [Dossiê Ciro Gomes] [Bolsonaro Foge] [Vídeos Bolsonaro] [Época (Globo)] [Canal Bolsonaro] [Quem é Wal?] [Expulso Exército] [#EleNão][Bolsonaro e a Zoofilia] [o “Kit Gay”]

Bolsonaro Honesto? Ficha Limpa? [Clique Aqui] Corrupção, Lavagem de Dinheiro!

Fotos e vídeos da Manifestação. Começou no Largo da Batata e fez longa caminhada até a Av. Paulista. Eu (Bruno GM) estive na Manifestação desde às 14:00hs até o fim, fiz a caminhada e gravei tudo o que pude. Veja os vídeos e fotos que registrei aqui.

Leitura do Manifesto Contra Bolsonaro - Mulheres Contra Bolsonaro
(Em Alta Definição 4K):


Curiosidade: Manifestação #EleSim foi sabotada por Forte Chuva que Dispersou os Apoiadores do Fascista/Nazista/Corrupto Jair Bolsonaro, acho que dá para presumir de que Lado 'Deus' está né Bolsominions? Eu estive durante toda a manifestação do #EleNão em SP Capital, (Dia 29/09/2018) e estava um tempo ameno, com nuvens, e vento refrescante. E isso foi até a alta madrugada, com muitas nuvens, mas nem um pingo de Chuva... E no dia seguinte (Domingo) veja como foi!

#EleSim Sabotado por Chuva Torrencial, de que lado Deus Está?:

#EleNão - Manifestação - Chegada na Av. Paulista 
Mulheres Contra Bolsonaro em SP Capital. Foi eu (Bruno GM) que Gravei essas Cenas, eu estive na Manifestação em SP Capital - Nessa entrada tem o ato isolado de uma mulher com os Seios a amostra falando algo em meio aos policias - (Em Alta Definição 4K):

Por Revista Piauí - UM PROTESTO HISTÓRICO, MENOS NA TV...

Por: José Roberto de Toledo (29 Set 2018 ás 22h35): Ao reunir Centenas de milhares, o movimento #EleNão provoca maior manifestação liderada só por mulheres no Brasil, mas é quase toda ignorada na TV. Enquanto as manifestações a favor do Impeachment de Dilma Rousseff era coberta ao Vivo e a Cores, com Repórteres CONVOCANDO, sem a menor Cerimônia, os espectadores para comparecer ao Protesto, a Manifestação #EleNão foi ignorada por todas as grandes emissoras, e recebeu poucas menções nos telejornais do final do Dia. (A Rede TV, no Jornal ‘Rede TV News’ dispensou apenas uns 3 segundos sobre as imensas manifestações que aconteceram) Trechos: Centenas de milhares de mulheres saíram às ruas para bradar #EleNão neste sábado, em cidades de todas as regiões do Brasil. Juntas, produziram as maiores manifestações populares desta eleição presidencial, de longe. Não se sabem números exatos porque a polícia, sintomaticamente, não contou na maioria das cidades. Mas as manifestantes ocuparam densamente amplas áreas da Cinelândia, no Rio, e do Largo da Batata, em São Paulo, para citar só duas. Em uma campanha na qual rarearam os comícios, tamanha aglomeração de gente contra um candidato é notícia. E foi: em inglês, francês, árabe. Mas o brasileiro que passou o dia na frente da tevê não ficou sabendo. A menos que tivesse um celular na mão. Bolsonaro ganhou Fama, mas o fez destilando tanto ódio contra tantas minorias que a reação a ele acabou provocando a maior manifestação de rua de toda a eleição.

Não é de agora o movimento de mulheres contra Bolsonaro. Desde o começo da campanha, o capitão reformado sempre teve muito mais dificuldade de vender suas ideias repressivas ao eleitorado feminino do que ao masculino. O #EleNão catalisou o sentimento contra Bolsonaro e transformou algo difuso em uma ação simultânea e concreta de dezenas de milhares de mulheres. Só não foi maior porque a cobertura da campanha eleitoral na tevê é deliberadamente omissa e limitada. Não faz reportagem, entrevista; não investiga, divulga agendas. A falta de cobertura ao vivo dos atos do #EleNão e, mais grave, a ausência de contextualização e ênfase nas raras reportagens sobre a mais importante manifestação de rua da campanha eleitoral de 2018 até agora não se deve ao departamento jurídico das emissoras. O movimento não é partidário nem promove nenhuma candidatura específica. É contra um candidato, sim, mas não prega que é melhor votar neste ou naquele outro. O resultado dessa omissão e falta de contextualização é que coisas diferentes são tratadas como iguais. Uma manifestação de dezenas, no máximo centenas de pessoas em um lugar é apresentada da mesma maneira e com a mesma magnitude que dezenas de milhares de mulheres em dúzias de cidades. Na tela da tevê, o ato solitário pró-Bolsonaro em Copacabana foi equivalente à maior manifestação popular capitaneada por mulheres na história do Brasil. Felizmente, a internet provê o que a tevê omite.

Por Jornal Zero Hora - Atos anti-Bolsonaro levam centenas de milhares às Ruas no Brasil Todo! E em outros Países! 
Concentração (ponto de encontro) foi no Largo da Batata, depois marchou até a Av. Paulista, veja imagens recolhidas pelo Jornal Zero Hora AQUI

Participantes empunharam cartazes e fizeram críticas ao político, relacionando-o a atitudes machistas, misóginas, homofóbicas e racistas, (e Claramente o Bolsonaro é Corrupto, Clique Aqui). Protestos de rua contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) reuniram milhares de pessoas pelo país neste sábado (29/09/2018), após a difusão do mote "#EleNão" em redes sociais. Foram registrados atos em capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre, além de pelo menos outras 30 cidades no Brasil. As manifestações foram convocadas por mulheres e também reuniram homens. Participantes empunharam cartazes e fizeram críticas ao político, relacionando-o a atitudes machistas, misóginas, homofóbicas e racistas. Os presidenciáveis Marina Silva (Rede), Vera Lúcia (PSTU) e Guilherme Boulos (PSOL) estiveram na concentração do Largo da Batata (zona oeste da capital paulista). (Obs. Ciro Gomes não pode ir por recomendação médica, ele foi operado poucos dias antes do evento).

Candidatas a vice, Manuela D'Ávila (PC do B), da chapa de Fernando Haddad (PT), Kátia Abreu (PDT), da candidatura de Ciro Gomes (PDT), e Sonia Guajajara (PSOL), vice de Boulos, também compareceram. Os candidatos deram entrevistas no local e tiraram fotos com eleitores. A Polícia Militar não divulgou estimativa do número de pessoas no evento da capital paulista nem no do Rio. Em Brasília, foram 7.000 manifestantes, segundo a PM; organizadores falaram em até 40 mil. Até a conclusão desta edição, não havia sido registrado nenhum incidente grave nas cidades com atos.

O presidenciável do PSL foi chamado de "coiso", "inominável" e "sete peles" em discursos em um carro de som na capital fluminense. "Ele prega o ódio. Nós pregamos o respeito. Ele defende a morte e a tortura. Nós defendemos a vida. Bolsonaro nunca", afirmava um texto lido na Cinelândia. Nas ruas, as expressões "Ele não" e "Mulheres contra Bolsonaro" apareceram em camisetas, pintadas no corpo de manifestantes e em gritos. O roxo, cor escolhida para representar o ato, também podia ser visto em roupas e faixas, junto a reivindicações de tolerância, respeito e amor. A professora Madalena Peixoto, 65, disse participar da manifestação em São Paulo para "impedir que a ditadura volte". Na opinião dela, Bolsonaro é "fascista, machista e a favor da cultura do estupro". Só faltou dizer que é Corrupto sim! Tendo graves indícios disso. Dossiê Bolsonaro Corrupção [Clique Aqui].

#EleNão - MANIFESTAÇÕES CONTRA BOLSONARO NO PAÍS TODO

Mulheres lideram multidão contra Bolsonaro em São Paulo, Rio e Recife. Protestos foram organizados para este sábado em diferentes cidades do Brasil e do mundo. As mulheres se tornaram um empecilho ao crescimento das intenções de voto do candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro. Além de uma mobilização massiva nas redes sociais, com milhões de seguidoras reproduzindo a hashtag #EleNão, atos públicos tomam as ruas de diversas cidades do Brasil – e de outras pelo mundo – neste sábado (29/09/2018). Líder nas pesquisas de intenção de voto desde o início da campanha, Bolsonaro se envolveu em discussões públicas com mulheres e fez declarações que tem dividido opiniões e alimentado movimento contrários e em apoio ao candidato por parte do eleitorado feminino. O evento montado no Facebook para a manifestação que acontecerá em São Paulo tem 83 mil pessoas confirmadas. As criadoras da página afirmam que o ato foi organizado por mulheres que se conheceram no grupo 'Mulheres Unidas Contra Bolsonaro'. Segundo elas, a ideia surgiu de forma espontânea e "está sendo construída por ativistas, militantes políticas que apoiam candidatos e candidatas e que assumem suas posturas políticas com respeito".

Vídeos da Manifestação, e depois as Fotos, todos em Alta Definição 4K:
(Veja Todos - PlayList AQUI)

Momento mais interessante da Marcha, que é quando a imensa multidão está subindo a Av. Rebouças, (que se trata de uma grande inclinação), e assim dá para ver como a multidão é imensa atrás, a ponte na frente do Instituto do Coração está lotada de manifestantes também - (Em Alta Definição 4K):

Música no Largo da Batata - Show - (29 09 2018) - Mulheres Contra Bolsonaro
(Em Alta Definição 4K):

Agora as muitas fotos do evento - #EleNão - Mulheres Unidas Contra Bolsonaro












































Fontes:

- Protestos contra Bolsonaro ocorrem em 26 estados e DF; atos a favor, em 16 Atos aconteceram desde a manhã deste sábado. Em 114 cidades, foram contra Jair Bolsonaro e em 40, a favor. As maiores manifestações foram no Rio de Janeiro e em São Paulo: https://g1.globo.com/politica/noticia/2018/09/29/manifestantes-fazem-atos-a-tarde-contra-e-favor-de-bolsonaro.ghtml 
- Os apoiadores de Bolsonaro se dispersam. Quem ficou se abriga debaixo do vão do MASP: https://twitter.com/rodolfolpborges/status/1046481352546291713
- UM PROTESTO HISTÓRICO, MENOS NA TEVÊ Ao reunir dezenas de milhares, #EleNão provoca maior manifestação liderada só por mulheres no Brasil mas é quase ignorado na tevê: https://piaui.folha.uol.com.br/um-protesto-historico-menos-na-teve/?doing_wp_cron=1538302338.4310879707336425781250
- Atos anti-Bolsonaro levam milhares às ruas Participantes empunharam cartazes e fizeram críticas ao político, relacionando-o a atitudes machistas, misóginas, homofóbicas e racistas: https://www.noticiasaominuto.com.br/brasil/659192/atos-anti-bolsonaro-levam-milhares-as-ruas
- Mulheres lideram multidão contra Bolsonaro em São Paulo, Rio e Recife Protestos foram organizados para este sábado em diferentes cidades do Brasil e do mundo: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/09/29/politica/1538226863_062834.html?id_externo_rsoc=FB_CC
- Capitais brasileiras e Distrito Federal recebem atos contra Jair Bolsonaro Dezenas de municípios e todas as capitais tiveram manifestações contra o candidato do PSL: https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,cidades-brasileiras-recebem-atos-contra-o-candidato-jair-bolsonaro,70002525172

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: #EleNão, #BolsonaroNão, #MulherescontraBolsonaro, #Ciro12, #CiroVote12, Ele não Manifestação, #EleNão Chegada na Av. Paulista, caminhada do largo da Batata até a Av. Paulista, Dia 29 do 09 de 2018, manifestação, Mulheres Contra Bolsonaro, grupo do facebook, imagens da manifestação em Full HD, manifestação ele não imagens, filmagens da manifestação ele não, SP capital, filmagens do #elenão, Jair Bolsonaro, Bolsonaro volta para casa, Bolsonaro presidente, #CiroPresidente, HD, Full hd,, #EleNão Av. Paulista, #EleNão SP capital, Mulheres contra Bolsonaro Av. Paulista, Manifestação #EleNão SP Capital, #EleNão largo da Batata, Manifestação, Leitura do Manifesto contra Bolsonaro,#EleNão Av. Paulista, #EleNão SP capital, Mulheres contra Bolsonaro Av. Paulista, Manifestação #EleNão SP Capital, #mulherescontrabolsonaro, mulheres contra Bolsonaro Paulista, Av. Paulista,Leitura do Manifesto Contra Bolsonaro, #EleNão,Mulheres Contra Bolsonaro, dia 29/09/2018,Fotos e Vídeos da Manifestação,SP Capital,Bolsonaro Corrupto Sim, Bolsonaro é Ladrão Sim,

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)