domingo, 29 de julho de 2018

Bolsonaro Corrupto! Reportagem da Revista Época (Globo) complementa a Folha de S. Paulo e Denuncia mais Corrupção de Bolsonaro!

Tudo aponta para lavagem de Dinheiro em Grande Escala!


Revista Época engrossa as acusações feitas pela Folha de S. Paulo contra Bolsonaro e faz investigação levantando os bens multimilionários de toda a Família Bolsonaro no Vale do Ribeira em SP. Título da Reportagem: “Como foram os anos de formação de Bolsonaro em Eldorado-Xiririca, no interior de São Paulo. O passado do candidato conservador Jair Bolsonaro numa cidadezinha do Vale do Ribeira”

Gostei muito do artigo da Revista Época, bombásticas descobertas! Esse artigo junto com a série da Folha de S. Paulo formam um Dossiê poderoso contra a Farsa Bolsonaro. No Dossiê Bolsonaro Corrupção eu escrevo assim - “Mais de 17 milhões em patrimônio, e a Folha de S. Paulo levantou apenas os imóveis e algumas contas bancárias dos 4 políticos da família. Mas e se fizerem uma busca que inclua mãe, tios, vizinhos, amigos mais íntimos, etc? Novas e DEVASTADORAS evidências poderão ser encontradas? Muito provável que sim!” -  E de fato foi isso que a Revista Época do Grupo Globo fez!

Eles foram investigar a cidade natal de Bolsonaro, e levantar o patrimônio dos principais parentes, e o cenário é estarrecedor! Filho de um dentista amador (sem licença para exercer a função) e uma dona de casa, Bolsonaro que é o terceiro de 6 irmãos levantou um império de centenas de milhões de reais! Como diz uma advogada da cidade, “Bolsonaro lidera um exército de laranjas!”.

Jair Bolsonaro fez questão de ligar para os parentes na cidade e proibir todos de dar entrevista! Ele manda e desmanda em todo mundo! Ninguém aceitou dar entrevista! Chamaram até a polícia para deter os repórteres! Veja a reportagem completa na Revista Época nesse link AQUI. Abaixo segue apenas os trechos mais bombásticos da reportagem.

Corrupção Generalizada de Jair Bolsonaro e Família! - Como foram os anos de formação de Bolsonaro em Eldorado-Xiririca, no interior de São Paulo:
A cidade de Eldorado no Vale do Ribeira (SP) foi onde Bolsonaro cresceu, sua mãe e muitos outros familiares ainda vivem lá e tem suas casas. Claramente Bolsonaro está usando a Família para ocultar bens, lavagem de dinheiro em Larga Escala! Corrupção da Grossa!

Principais Trechos:

- Logo na entrada de Eldorado há um quilombo com cerca de 300 quilombolas, que foi visitado por Bolsonaro em 2017. Numa palestra no Rio de Janeiro, o deputado disse que o “afrodescendente mais leve” de lá “pesava 7 arrobas” e “nem para procriador servia mais”. As declarações fizeram a PGR denunciá-lo ao STF por racismo. Ele também foi condenado pela Justiça Federal a pagar R$ 50 mil por danos morais ao Fundo Federal de Defesa dos Direitos Difusos. [Vídeo Aqui]

- O racismo foi característica forte na cidade. A sede do clube Caraitá, onde militares que permaneceram no município costumavam organizar bailes para arrecadar fundos para um time de futebol, o Vila Vicentina, só aceitava brancos nos anos 1960.

- o início do ano, Bolsonaro esteve em Registro. Alves vislumbrou um pedido de desculpas. Enganou-se. “Pensei que ele teria a atitude digna de se retratar”, disse o agrônomo, que desistiu de processar o candidato por prever despesas, uma vez que o processo se daria no STF, a 1.200 quilômetros dali. “Mas dignidade não faz parte dele. Não tive um pedido de desculpas. Pensei que o conhecesse, mas não conheço. Tenho muitos amigos em Eldorado que se revoltaram com essa história. Hoje sou um desafeto.” Em visita a Registro no último 17 de julho, Bolsonaro nada disse sobre Gilmar Alves nem o procurou.

- “Não consigo imaginar que embasamento permite a ele postular esse cargo”, disse. “Ele é meio bitoladão. O desequilíbrio dele é notório. Está sempre brigando. Acho que não seria um bom presidente.”

- Narcisa dos Santos repete o mantra quando a pergunta é sobre a família Bolsonaro: “Eles são donos tudo dessas lojarada aí (sic)”. Francisco Borges, primeiro-sargento aposentado da PM que também conviveu com Bolsonaro, deu corda ao assunto. “Aqui ele não vai ter voto nenhum”, disse, ao reclamar da situação da estrada, esburacada, e da saúde da região.

- “Fazer, ele fez”, disse Borges, em referência ao Bolsonaro pai. “Muitas lojas, muitas casas. Jair Bolsonaro tem tudo aqui, tudo é dele. Fora as outras cidades por aí.” De interioranos pobres, disse Francisco, os Bolsonaros se transformaram em comerciantes ricos.

- Um levantamento feito por ÉPOCA na Junta Comercial de São Paulo mostra ao menos 19 empresas registradas em oito municípios: Eldorado, Miracatu, Jacupiranga, Apiaí, Juquiá, Iguape, Pariquera-Açu e Barra do Turvo. As empresas estão registradas em nome dos irmãos Renato Antonio Bolsonaro e Angelo Guido Bonturi Bolsonaro, da mãe, Olinda Bonturi Bolsonaro, e dos sobrinhos Vitória Leite Bolsonaro, Angelo Guido Bolsonaro, Orestes Campos Bolsonaro e Osvaldo Campos Bolsonaro.

- Somando-se o número de filiais espalhadas por um total de 13 municípios, a família Bolsonaro tem pelo menos 30 lojas no Vale do Ribeira.

Cidade onde Bolsonaro viveu a infância e adolescência é atualmente o epicentro do seu esquema de ocultação de bens, lavagem de dinheiro e corrupção descarada

- Outras três lojas de materiais para construção, intituladas Campos Móveis, também. Na praça central do município há um shopping em construção, que, segundo moradores, é propriedade dos Bolsonaros. Logo ao lado, um sobrado abriga a casa lotérica Trilha da Sorte, cujos donos são o irmão mais velho, conhecido como Guido, de 65 anos, e o sobrinho Angelo, de 37. Das 19 empresas, 14 foram abertas nos últimos oito anos.

- Na loja de consertos de eletroeletrônicos de que toma conta em Eldorado, ao lado de sua residência, Guido Bolsonaro, o irmão mais velho, irritou-se. Saiu a passos largos de dentro do estabelecimento: “Não pode tirar foto daqui”, disse ao repórter. A cena se deu no passeio público. “O Jair ligou e proibiu todo mundo da família de dar entrevista”, bradou Guido, dedo em riste. Seguiu nervoso até o posto da Polícia Militar na frente da loja. Como estava vazio, dirigiu-se a uma porta de ferro ao lado e passou a espancá-la. Um soldado apareceu. Guido não emitiu uma palavra. Por um instante, pareceu imaginar que estivesse em 1964: deixou o repórter cara a cara com o PM e desapareceu, como se confiasse que o militar daria um jeito na situação. Para além do constrangimento, nada aconteceu.

- Em 2012, Renato disputou a prefeitura de Miracatu pelo PR. Na ocasião, declarou patrimônio de R$572 mil. Não foi eleito. Quatro anos mais tarde, tentou de novo, dessa vez com patrimônio declarado de R$ 971 mil - um salto de 69%. Também não se elegeu. Ele cuida ainda de uma fazenda de criação de bovinos e apicultura.

- O casal Theodoro e Vânia é dono de 11 lojas da rede Art’s Móveis, instaladas em dez cidades do Vale do Ribeira. Parte das lojas é de Vânia Bolsonaro, que se lançou no varejo em 1995, no ramo de artigos de caça, pesca e camping, e, em 2011, migrou para o varejo de móveis e eletroeletrônicos. As outras cinco são de Konesuk, que abriu a primeira Art’s Móveis em 1997 e hoje é dono de metade da rede, além de atuar com extração de areia e tocar uma fazenda de gado de corte em Registro, principal município da região.

- Entre os antigos comerciantes de Cajati, a desenvoltura dos parentes de Jair Bolsonaro nos negócios causa um misto de inveja e admiração. As grandes lojas costumavam ser de famílias tradicionais do ramo, que hoje estranham a capacidade dos Bolsonaros de manter uma concorrência tranquila com negócios similares.

Revista Época do Grupo Globo Detona mais uma vez Jair Messias Bolsonaro, reportagem da Globo é complementar a reportagem da Folha de S. Paulo do início do ano

- “O José Orestes é o mentor do crescimento comercial da família. Ele começou com uma loja de calçados em Eldorado e construiu praticamente um império para o padrão da região. Basta ver que, onde tem lojas Campos, há também da Art’s Móveis”, observou um comerciante tradicional de Cajati.

- José Orestes abriu oito lojas em cinco anos, entre 2005 e 2010, e mesmo depois da crise manteve os investimentos. Apenas no ano de 2015 inaugurou três unidades da Magazine Campos Mais. A mais recente foi aberta em julho de 2017, em Jacupiranga, cidade onde mora, ao mesmo tempo que também alterou a atividade econômica da empresa para se lançar em novas áreas, como construção de edifícios e atacado de peças, pneus e acessórios para veículos.

- Somados, cunhado, ex-cunhado, irmãos, sobrinhos e a mãe de Bolsonaro são donos de mais de 70 imóveis no Vale do Ribeira. Na praça de Eldorado, um taxista questionou o enriquecimento dos Bolsonaros. “O cara é forte”, afirmou, referindo-se a Jair. O ponto de táxi em que trabalha fica na frente da lotérica da família, Trilha da Sorte. “Todo esse império que eles construíram foi por meio da política”.

- Tanto observou a lotérica dos Bolsonaros que descobriu: produtores de banana poderosos da região costumam aparecer por lá com frequência. Em vez de adentrar o estabelecimento pela porta da frente, como todo mundo, os sócios Valmir Beber, que disputou mais de uma vez a prefeitura de Eldorado pelo PMDB, e Sandro Morais, filiado ao PR, têm o hábito de seguir direto para os fundos da lotérica, onde fica o escritório dos proprietários.

- “O bananeiro forte aqui é o Sandro”, contou o taxista. “Ele não sai da lotérica. Vai lá e não entra como um normal, ele já entra lá para o fundo e fica por lá”. Sandro Morais era um humilde dono de bar. Repentinamente, acabou se tornando um renomado empresário da banana. É o comerciante que mais intermedeia a compra e a venda de bananas na região, com vários caminhões e carretas. O mercado de bananas no Vale do Ribeira emprega mais de 100 mil trabalhadores e, só em salários, movimenta R$ 400 milhões por ano.

Cidade de Miracatu onde Renato Bolsonaro tem muitas propriedades, dentre elas quadro lojas de móveis e eletroeletrônicos. Ele tentou ser prefeito da cidade em varias ocasiões, mas sempre perdeu, veja vídeo AQUI

- Uma advogada da cidade suspeita que Bolsonaro lidere um exército de “laranjas”, em nome dos quais estariam terras atulhadas de bananeiras. O trato do presidenciável com os bananeiros envolveria a promessa de manipulação na legislação ambiental de modo que fosse permitido o plantio em áreas de várzea, próximas a rios, com a consequente contaminação das águas por agrotóxicos. Procurados pela reportagem, Sandro Morais não foi localizado e Valmir Beber não atendeu os telefonemas.

Dinheiro Esquecido, uma fortuna abandonada...
Enquanto Jair Bolsonaro “trabalhava” no congresso, Ana Cristina resolveu comprar um apartamento com o dinheiro que estava sobrando na conta...

O 'Cristão conservador' que trai a mulher, e depois de casar com a amante essa compra apto na Barra da Tijuca usando um dinheiro que estava na conta conjunta dos dois. Mas ele não sabia... isto é, tinha tanto dinheiro acumulado numa conta que a segunda mulher teve uma grande ideia, comprar um apto! - Confira o caso:

- “Foi lá, na Quadra 103 Norte, que conheceu a segunda ex-mulher, Ana Cristina Valle. Ambos se apaixonaram enquanto eram casados - ele com Rogéria Nantes Nunes Braga, a mãe de seus três filhos; ela com um coronel da reserva do Exército - O relacionamento começou a desmoronar quando Ana Cristina comprou um apartamento em um hotel na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, supostamente com o dinheiro de Bolsonaro, sem que ele soubesse, segundo contou um assessor próximo da família. “É claro que ele sabia”, disse ela. “Comprei com o dinheiro de uma conta conjunta.” Ela se comprometeu a mostrar a matrícula do imóvel, mas nunca o fez” -

Então atentem para o detalhe! Tinha tanto, mas tanto dinheiro na conta dele, que ela, sem consulta-lo, resolveu pegar aquela grana toda e comprar um apto num dos bairros mais luxuosos do RJ! Aí fica a pergunta óbvia, de onde veio tanto dinheiro em Bolsonaro? Tava lá na conta sem fazer nada, uma pequena fortuna, e a mulher, pratica como é, resolveu: “ah quer saber, essa grana toda aqui parada na conta, sem fazer nada, vou comprar um apartamento!”. Esse dinheiro todo acumulado, e “esquecido” seria apenas do salário de deputado? É sério??

Quer saber de mais podres do BolsoFarsa? [Clique Aqui] veja o Dossiê Bolsonaro Corrupção - Reportagens da Folha de S. Paulo



Quer mais detalhes sobre Corrupção de Jair Bolsonaro? Veja essas reportagens
Visite o Nosso Canal clique AQUI

Bolsonaro Ficha Limpa? Bolsonaro é Honesto? Bolsonaro Corrupto! Farsante! (Marco Antonio Villa):

Bolsonaro Corrupto - Recebeu Propina da JBS Friboi - Lavagem de Dinheiro, (Canal Clayson):

Bolsonaro Corrupto! O irmão Renato Bolsonaro é Funcionário Fantasma! Corrupção Generalizada!:

Bolsonaro fica Nervoso ao ser perguntado sobre seus Crimes no Exército e Expulsão:

Bolsonaro General do Exército chama Bolsonaro e seus seguidores de Boçais e Amadores:

Bruno Guerreiro de Moraes, apenas alguém que faz um esforço extraordinariamente obstinado para pensar com clareza...

Tags: Bolsonaro Corrupto, Reportagem,Revista Época,Globo, complementa,Folha de S. Paulo, Denuncia mais, Corrupção de Bolsonaro, Tudo aponta, lavagem de Dinheiro, em Grande Escala, Dossiê Bolsonaro Corrupção,Canais Deletados,Bolsonaro Foge, Dossiê Vídeos, Bolsonaro, é o nome da, Lava Jato, ficha limpa, mais honesto, não é corrupto, corrupção, Como foram, os anos de, formação de, Bolsonaro,Eldorado-Xiririca, no interior de São Paulo, O passado do candidato, conservador, Jair Bolsonaro, numa cidadezinha,Vale do Ribeira,

7 comentários:

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 01 - BolsoJegue: ‘Não entendo mesmo de economia’, afirma Jair Bolsonaro ao GLOBO. Em entrevista exclusiva, pré-candidato também comenta vídeo de criança fazendo sinal de arma e diz que não compreende o que o movimento feminista quer - Por Globo: https://oglobo.globo.com/brasil/2018/07/21/3046-nao-entendo-mesmo-de-economia-diz-bolsonaro-ao-globo

RIO — Na primeira entrevista do GLOBO com candidatos à Presidência, Jair Bolsonaro, que será escolhido neste domingo o nome do PSL ao Planalto, admite desconhecer assuntos econômicos e diz que quem responde por ele nesta área é o consultor Paulo Guedes — o seu ‘Posto Ipiranga’. O deputado ainda provoca adversários e afirma não entender o que o movimento feminista quer.

Globo: Em declarações públicas recentes, o senhor gerou desconforto ao dizer que não entende de economia. Não é um problema para um candidato que mira o Planalto?

Bolsonaro: Não entendo mesmo. Não entendo de medicina, de agricultura, não entendo um montão de coisa. Acho que temos que ter bom senso para governar. Foi o que falei para a equipe do Paulo Guedes (economista responsável pelo programa econômico do presidenciável). O que a gente quer: inflação baixa, dólar compatível para quem importa e exporta, taxa de juros um pouco mais baixa e não aumentar mais impostos. Só pedi coisa boa.

Globo: Mas a economia vai ser um eixo relevante da campanha...

Bolsonaro: Esse é o bê-a-bá, precisa saber mais do que isso? Estou indo para o vestibular ou para campanha política?

Globo: Por exemplo, qual seria a sua política de combate à inflação?

Bolsonaro: É com ele (Paulo Guedes). Mas acho que tem que manter a meta que está aí, de 4,5%. Agora, é importante dizer que a inflação está muito mais baixa, não pelo trabalho da equipe econômica, mas sim pelo desemprego e empobrecimento da população.

Globo: O senhor é favorável à autonomia ou até mesmo a independência do Banco Central?

Bolsonaro: O Goldf... Como é o nome dele? (um assessor diz o nome de Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central). A ideia do Paulo Guedes é mantê-lo. Outro dia, o Paulo deu uma declaração importante: devemos manter alguns integrantes da equipe econômica atual. Até alertei: “Paulo, não fala em manter alguns da equipe, fala o nome dos caras, para não me vincular com o Temer.” Daqui a pouco, a imprensa vai dizer que apoio o governo Temer.

Globo: Qual a sua proposta de reforma tributária?

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 02 - BolsoJegue: ‘Não entendo mesmo de economia’, afirma Jair Bolsonaro ao GLOBO: https://oglobo.globo.com/brasil/2018/07/21/3046-nao-entendo-mesmo-de-economia-diz-bolsonaro-ao-globo

Bolsonaro: O deputado Luiz Carlos Hauly está bastante avançado em um projeto. Não vi ainda, mas as informações que tenho são de que, sendo aprovada, vai trazer um grande alívio. O Marcos Cintra (economista) tem fixação em imposto único. Eu, como leigo, acho que é legal, mas também uma utopia. Se conseguir diminuir 15 ou 20 impostos, já seria excelente. É igual à reforma da Previdência: vamos devagar, que a gente chega lá.

Globo: Taxação de grandes fortunas?

Bolsonaro: Sou contra.

Globo: E taxar dividendos?

Bolsonaro: Quem aplica no mercado financeiro, é isso? Aí eu vou para o Posto Ipiranga. Perguntar para o Paulo Guedes. Não tenho vergonha de falar isso não.

Globo: Tudo o senhor joga para o Paulo Guedes?

Bolsonaro: Sobre isso aí (taxar dividendos), eu vou ouvir a opinião dele.

Globo: O senhor é contra aumentar imposto, mas pode assumir um governo com problema de caixa. Onde vai cortar?

Bolsonaro: Se para salvar o governo, tem que quebrar os trabalhadores, vamos morrer juntos abraçados. Ninguém aguenta mais pagar imposto. Podemos também diminuir a quantidade de ministérios. Fundir Agricultura e Meio Ambiente. Transformar o Ministério da Cultura só em uma secretaria.

Globo: A negociação durante meses com o PR, liderado pelo Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão, não contraria seu discurso contra as práticas da velha política?

Bolsonaro: Minha negociação era apenas com o senador Magno Malta. O Valdemar abriu para que eu colocasse quem eu quisesse de vice: do meu partido, do dele ou até mesmo um terceiro. Ele coligaria conosco desde que nós fechássemos aliança no Distrito Federal, Rio e São Paulo. Mas acabou, PR já morreu.

Globo: A aliança do centrão em torno de Geraldo Alckmin preocupa o senhor?

Bolsonaro: O centrão diz que vai bater mesmo o martelo lá para o dia 4 de agosto. Podem acontecer problemas entre eles, e alguém vir para o nosso lado. O atrativo que eu tenho é a popularidade. Mas estou muito tranquilo. Se der zebra, eu vou para a praia. Não estou preocupado com isso.

Globo: O senhor quer mesmo ser presidente da República?

Bolsonaro: Não estou com obsessão, mas sigo em frente. Acabei de chegar de uma viagem barra pesada. Sozinho, por Goiânia e Rio Verde (GO).

Globo: Está cansado da pré-campanha?

Bolsonaro: Eu digo que sou “imbroxável”, mas estou meio broxa sim.

Globo: O senhor vai participar dos debates?

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 03 - BolsoJegue: ‘Não entendo mesmo de economia’, afirma Jair Bolsonaro ao GLOBO: https://oglobo.globo.com/brasil/2018/07/21/3046-nao-entendo-mesmo-de-economia-diz-bolsonaro-ao-globo

Bolsonaro: Vou, mas sem ficar preso à agenda, no joguinho de discutir besteira. Vou dar um tranco de dez segundos e falar o que interessa. Não adianta querer me amarrar numa pauta. Vou responder o que eu quero.

Globo: O senhor imagina algum adversário caso passe para o segundo turno?

Bolsonaro: Acho que não enfrento ninguém. A gente ganha no primeiro turno. O Alckmin acabou de me ajudar com a aliança com o centrão. Vou mandar um beijo para ele. Um beijo hétero.

Globo: Ele tem tentado provocar o senhor nas redes sociais. Vai responder?

Bolsonaro: Não vou entrar na pilha dele. Ele perde em casa (São Paulo) para mim em toda pesquisa. Ele tem que se explicar, crescer um pouquinho mais.

Globo: Marina e Ciro também já alfinetaram o senhor publicamente...

Bolsonaro: Não sou psiquiatra para responder o Ciro. Já a Marina me chamou de hiena em entrevista a um programa de rádio. Imagina se fosse o inverso. A hiena é um animal que só faz amor uma vez por ano, come porcaria o tempo todo...

Globo: Sabe quanto a sua pré-campanha gastou até agora?

Bolsonaro: Não. Fico em casa de amigos. São caras que me convidam, alguns parlamentares. Há uma briga de foice para me levar a qualquer estado do Brasil. Minhas viagens são com o dinheiro do partido. Antes, viajava, em média, uma vez e meia por mês. Agora é quase toda semana.

Globo: Tem empresário ajudando o senhor no empréstimo de jatinhos ou na produção de vídeos?

Bolsonaro: Já tive oferecimento de jatinho e helicóptero e não aceitei. Sobre os vídeos, tem gente que faz no amor e manda para cá. As mídias sociais, sou eu que posto.

Globo: Há páginas no Facebook impulsionando postagens favoráveis ao senhor, além de outdoors espalhados pelo Brasil. É tudo espontâneo?

Bolsonaro: Eu não tenho nada a ver com isso. Não conheço 99% desses caras. Deve ser gente que tem dinheiro. Tem vaquinha também. Por que está acontecendo tudo isso aí? Porque sou diferente dos outros.

Globo: O senhor propôs aumentar o número de ministros do Supremo, medida tomada no passado pela ditadura militar no Brasil e por Hugo Chávez na Venezuela. Não é autoritário?

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 04 - BolsoJegue: ‘Não entendo mesmo de economia’, afirma Jair Bolsonaro ao GLOBO: https://oglobo.globo.com/brasil/2018/07/21/3046-nao-entendo-mesmo-de-economia-diz-bolsonaro-ao-globo

Bolsonaro: Não. Tem que propor emenda à Constituição, e os nomes seriam acolhidos pelo Senado. Eu indicaria dez. Ninguém em sã consciência acha que o Supremo, em especial a Segunda Turma, está fazendo um trabalho à luz da Constituição.

Globo: Pelos cálculos, o senhor poderá indicar dois ministros do STF se for eleito. Por que quer indicar dez?

Bolsonaro: Você tem que ter maioria independente no Supremo.

Globo: Seria dependente do senhor essa maioria, certo?

Bolsonaro: Não. Nós sabemos como são indicados os ministros. Em especial, quando começou o mensalão, o critério foi mais politizado e ideologizado. E o Supremo está numa situação de querer legislar. O Conselho Nacional de Justiça também, e o Executivo e Legislativo não tomam providência.

Globo: O senhor defende pontos fora da lei brasileira, como uma espécie de carta branca para policiais matarem em operações nas favelas. Por quê?

Bolsonaro: A lei permite só para o lado do crime. Imagina um soldado na rua em missão da GLO (Garantia da Lei e da Ordem). É surpreendido, tem troca de tiros e acaba morrendo um inocente. É justo levar esse garoto para uma Auditoria Militar para uma condenação de 12 a 30 anos de cadeia? Ele tem que ser responsabilizado por tudo isso? Estamos vivendo em guerra, e nela os dois lados atiram. Eu topo manter como está se os especialistas e a imprensa participarem com os policiais de uma operação e mostrarem como têm que fazer.

Globo: Em entrevista para a revista Playboy, em 2011, o senhor disse a seguinte frase: “Prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí”. Voltaria atrás?

Bolsonaro: Negativo. Não foi do nada. Naquela época, o governo estava com um programa para combater a homofobia e apareceu o kit gay (nota Globo: forma como Bolsonaro chama uma cartilha que seria distribuída pelo Ministério da Educação para debater sexualidade no ambiente escolar). Minhas frases foram importantíssimas para combater a questão de ensinar sexo para criancinha a partir de seis anos de idade.

Globo: O senhor acha que é possível ensinar a ser gay?

Bolsonaro: Não é ensinar, mas estimular. Se você passa um filme na escola de dois meninos se beijando, o Joãozinho no intervalo pode dar uma bitoquinha no Pedrinho. O garoto, até uma certa fase, imita.

Globo: Um garoto não poder ver um beijo gay mas pode fazer gestos como se estivesse com armas? (Bolsonaro foi fotografado simulando o uso de uma pistola)

Bolsonaro: Pelo amor de Deus, você quer comparar beijo gay com isso? Essa foto foi tirada de maneira totalmente espontânea, o pai autorizou e tudo. Ontem fiz mais uma. Chega de frescura, quando eu era criança brincava de arma o tempo todo. Nas favelas, tem gente de fuzil por todo o lado. Um filho vê o pai policial armado todo dia. Não vejo maldade nenhuma nisso. As crianças do Brasil têm que ver as armas como algo ligado à responsabilidade e de proteção à vida.

Bruno Guerreiro de Moraes disse...

Parte 05 - BolsoJegue: ‘Não entendo mesmo de economia’, afirma Jair Bolsonaro ao GLOBO: https://oglobo.globo.com/brasil/2018/07/21/3046-nao-entendo-mesmo-de-economia-diz-bolsonaro-ao-globo

Globo: Caso eleito, haverá preocupação de gênero na formação da sua equipe?

Bolsonaro: Não vai ter essa preocupação de afro, mulher ou gay. Quero gente que dê conta do recado. Pode ter 14 mulheres até.

Globo: O senhor repetiria hoje a declaração de que a deputada Maria do Rosário “não merece ser estuprada, por ser muito feia”?

Bolsonaro: Exemplo: estou jogando futebol contigo. Você me dá um carrinho por trás, eu xingo você e dou uma cotovelada. Chama-se ato reverso. Estávamos discutindo o caso Champinha. Ela perdeu os argumentos, me chamou de estuprador, e eu respondi no reflexo.

Globo: O movimento feminista reagiu fortemente às suas falas...

Bolsonaro: Cada um faz o que quer da sua vida. Não estou preocupado com movimento de mulher com braço cabeludo. Não interessa. Quer depilar, depila; não quer, não depila.

Globo: O movimento feminista não é sobre depilação.

Bolsonaro: Mas o que o movimento feminista quer? Não sei. Não estou preocupado com isso.

Felipe Dorn Alves disse...

Se encontrar alguma corrupção do Henrique Meirelles, publique no seu blog também.

Felipe Dorn Alves disse...

Diante de qualquer informação divulgada pela Globo é melhor com um pé atrás. Aliás, a Globo divulgou um monte de mentiras sobre o PT também. O jornalismo quer vender notícias (isso me lembra a "O Mercado de Notícias"). Não importa se contra a esquerda populista ou contra a extrema direita. Quanto ao Bolsonaro, qualquer político que quer muito estar com os holofotes voltados para si não deveria de ser tratado com desconfiança. Ele me lembra o Sérgio Cabral, tanto combateu a corrupção que foi preso sob acusação de tê-la praticado. Melhor sempre desconfiar de gente assim tanto à direita quanto à esquerda.

GoogleAnalytics

O que Está Acontecendo?

- “Lamento, eu lamento muito... mas a maior revelação que o ‘Salto’ trás não é consolador, mas sim perturbador. O Mundo em que estamos é um campo de concentração para extermino de uma Super Potencia do Universo Local”. (Bruno Guerreiro de Moraes)